20/06/2014

Os Canibais do Apocalipse: Recordações de uma matiné dos anos 80...




Eram tempos de uma grande ingenuidade. Foi antes da Era do VHS, onde o acesso aos filmes ou era nos cinemas, ou pela TV. Os cinemas do Centro de Porto Alegre ram a minha segunda casa, um reduto perfeito para um garoto tímido e solitário que vivia imerso no mundo dos filmes de gênero que povoavam aqueles extintos Palácios do  Cinema. Eram sessões sem pipoca, onde nosso imaginário sobre os filmes era construído através das fotos dos filmes e seus cartazes que criavam toda uma expectativa, sem esquecer dos trailers, claro... Um desses muitos filmes foi o CANNIBAL APOCALYPSE de Antonio Margheriti, que por aqui recebeu o nome de: Os Canibais do Apocalipse. Pouco tempo antes foi exibido: Zombie Holocaist, e na época não sabia que estava vendo essa lista de grandes clássicos do Cinema Exploitation Italiano. Me lembro do impacto da cena dos soldados na cova devorando a jovem vietnamita, logo no início. Gopvanni Lombardo Radive era um deles. John Saxon era o protagonista. Só esses dois icones do Horror Cinematográfico Italiano já tornam o filme um Cult automático. Recriação urbana do Ciclo de Filmes de Canibais Italianos, o filme se tornou um dos grandes destaques da lista britânica dos VIDEO NASTIES. O rosto expressivo de Saxon observando a carne pingando sangue na geladeira é sensacional... Perturbadoras também são as sequências do hospital...



A crueza do filme em sua versão sem cortes me impressionou muito. A dicotomia  sexualidade e canibalismo  é muito forte nesse filme que mescla elementos de ação e guerra com muita competência. A sequência da língua arrancada no hospital é um achado, sendo citada em Kill Bill Vol 1. Me lembro que revi esse filme mais umas duas vezes e em meio a filmes americanos comerciais, algumas preciosidades da Europa e da Ásia, comecei a formar, de maneira muito intuitiva, a minha Cinefilia, que foi construida nos finados cinemas do Centro de Porto Alegre, como o São João, o Imperial, o Lido, o Scala, o Caçique e tantos outros, que me mostraram nesse mesmo periodo, o Cinema da Boca do Lixo de Sampa... Bons e saudosos tempos que não voltam mais...









2 comentários:

josé Lúcio Nogueira disse...

Boa lembrança,Marcelo.Eu admiro o cinema de gênero europeu das décadas passadas e o CANNIBAL APOCALYPSE é mais um dos ótimos filmes dessa época de ouro do cinema europeu,especialmente o italiano.Um banho de sangue em meio a zumbis infectados e pessoas enlouquecidas,e melhor ainda,feito com muito estilo.Melhor do que REC e O EXTERMÍNIO na minha opinião.Valeu!

Anônimo disse...

Foi antes da Era do VHS, onde o acesso aos filmes ou era nos cinemas, ou pela TV. Os cinemas do Centro de Porto Alegre ram a minha segunda casa, um reduto perfeito para um garoto tímido e solitário que vivia imerso no mundo dos filmes de gênero que povoavam aqueles extintos Palácios do Cinema. Eram sessões sem pipoca, onde nosso imaginário sobre os filmes era construído através das fotos dos filmes e seus cartazes que criavam toda uma expectativa, sem esquecer dos trailers, claro...

disse tudo, lembro de ficar batendo a porta de todos os cinemas aqui de Curitiba só para ver os cartazes e saber o que ia passar.

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...