13/10/2013

THE CITY OF THE DEAD aka HORROR HOTEL: Um Clássico esquecido do Horror Cinematográfico Britânico

O ano de 1960 é histórico para o Cinema Fantástico; Foi o ano de lançamento de duas Obras Primas do Horror Cinematográfico: PSICOSE de Alfred Hitchcock e BLACK SUNDAY de Mario Bava, duas produções que influenciaram todas as gerações seguintes, sendo celebradas até hoje por críticos, Diretores e cinéfilos ao redor do mundo.Um filme britânico também lançado em 1960, possui um interessante diálogo narrativo e estético com as duas produções citadas acima: THE CITY OF THE DEAD aka HORROR HOTEL, dirigido por : John Moxey. Em comum os três filmes são em Preto e Branco, com inspirada e atmosférica Direção de Fotografia. A trama central de THE CITY OF THE DEAD gira em torno da vingança ancestral de uma poderosa bruxa, queimada viva na fogueira em 1692. Assim como em BLACK SUNDAY, o filme de Moxey inicia na noite da execução da Bruxa e  tem uma elipse onde vemos um Professor, interpretado pelo lendário: CRISTOPHER LEE. Uma de suas alunas decide fazer uma pesquisa na pequena cidade de WHITEWOOD, onde a tal bruxa do início do filme foi executada, começa assim sua jornada de macabras consequências.




Luzes, sombras, neblina, rostos iluminados de maneira expressionista. Esses elementos tão presentes na Obra de Mario Bava e de seu discípulo Tim Burton, aparece com grande força diegética em THE CITY OF THE DEAD. O fotógrafo: Desmond Dickinson criou uma série de belas imagens emolduradas por enquadramentos inesquecíveis como os interiores do hotel, o rosto dos discípulos encapuzados, a estrada durante a noite, o brilho do fogo refletido... é um universo de rara beleza, sombrio e assustador. O diálogo sutil entre os três filmes é sutil em muitos momentos. Comparando com Bava, Moxey também teve sua estreia oficial como Diretor com esse filme, pois fizera alguns trabalhos anteriores na BBC. A sequência final é muito intensa em sua composição do Sabbath da feiticeira. O rosto de Lee realmente é um ícone imortal do Cinema Fantástico. A vena final mais parece um recriação de outra cena quase final de PSICOSE. THE CITY OF THE DEAD é daqueles filme mais que obrigatórios, tanto como gerador de influências múltiplas como Iten de Colecionador. Uma experiência cinematográfica rara e inesquecível. Ingênuo para as novas gerações, mas poderoso como Obra de Arte.




2 comentários:

anselmo luiz disse...

a quem possa interessar este filme saiu em DVD no Brasil ,pela revista digital Showtime Classicos.bom post e otimas informaçoes deste classico horror ingles perdido.Abraço de Anselmo Luiz.

Marcelo Carrard disse...

Obrigado pelo retorno e por essa informação preciosa. Grande abraço.

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...