25/03/2013

ROOM 237: Uma Odisseia pelos labirintos da mente genial de Stanley Kubrick.





Existem filmes que escondem segredos perturbadores. Nas entrelinhas das imagens muitas metáforas podem estar ocultas para serem desvendadas como esfingens passados décadas após o seu registro. Para um gênio da Sétima Arte como: STANLEY KUBRICK, que era dono de um absurdo QI, as possibilidades de leitura de suas obras-primas é infinita. O Diretor norte americano: RODNEY ASCHER se debruçou em uma de suas principais produções: O ILUMINADO, 1980, inspirado no famoso livro de Stephen King.O trailer do filme com o sangue jorrando dos elevadores do hotel é um clássico absoluto que sobrevive até hoje no imaginário dos cinéfilos. Kubrick era fã ardoroso de A Montanha Mágica de Thomas Mann e uma leitura comparada entre as duas tramas, a de O Iluminado e a do livro de Mann, surge como singular observação desse filme que aterrorizou uma geração e se tornou um ícone do Horror Cinematográfico Mundial.
O documentário de Ascher é um hipnótico mergulho nos labirintos de O Iluminado e por consequência, na mente de Stanley Kubrick. Com uma montagem virtuosa e uma excelente trilha sonora eletrônica, vemos o filme ser dissecado diante de nossos olhos, com divisão de capítulos temáticos, desde sua abertura até as leituras comparativas com outro clássico de Kubrick: 2001-Uma Odisseia no Espaço, filmes que possuem um incrível diálogo entre si. 



As metáforas sobre o Nazismo e o genocídio  dos índios norte-americanos são exaustivamente analisados no documentário, tendo como um dos eixos a máquina de escrever alemã da personagem de Jack Nicholson. Uma das mais interessantes leituras presentes no filme aparece quando se analisa a chegada do menino no triciclo diante do interdito quarto 237. Existe uma Teoria da Conspiração que afirma que o homem NUNCA esteve na lua e todas as imagens famosas que conhecemos foram filmadas por Kubrick, devido ao êxito de 2001. O menino diante do quarto 237 se levanta e parte para o desconhecido. Na porta está pendurado um cartão escrito ROOM 237, o R mais parece um M, formando palavra MOON   e a distância entre a Terra e seu satélite é justamente 237 mil milhas...Outro elemento analisado é o da figura do Minotauro, cuja imagem aparece em vários momentos nos mais inusitados locais como onipresente Mestre do Labirinto gigantesco do Hotel. Muitas são as análises e descobertas presentes nesse virtuoso documentário que celebra, antes de tudo, a magia única e insubstituível  da criação cinematográfica e ao trabalho de Kubrick que conseguiu a proeza de construir uma  produção audiovisual com a mesma complexidade da literatura...


5 comentários:

Alexandre M disse...

Esse é um filme que, pelo menos para mim, torna-se mais sombrio a cada revisão pelo que está contido nas entrelinhas, nos mínimos detalhezinhos. Clássico! Para quem não conhece, há dois links que dissecam um pouco a simbologia do filme. São extensos, mas valem a pena:

http://www.collativelearning.com/the%20shining.html

http://illuminatiwatcher.com/?p=4153

Marcelo Carrard disse...

Valeu pelos links. Muito Obrigado.

Oz disse...

Excelente post amigo, muchas gracias por compartirlo. Te quiero invitar a mi nuevo Blog de Cine de Terror que seguramente te gustará, espero tus comentarios en:
http://terror-en-el-cine.blogspot.com/

Un gran saludo, Oz.

Fernando Terroso disse...

tudo bem Marcelo ?
gostaria de fazer parceria ?
filmelixo.blogspot.com

Abraço

Marcelo Carrard disse...

Gracias a todos. Desculpe me a ausência...

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...