20/02/2013

SCHIZO: O “Giallo” de Pete Walker





Pete Walker, o Diretor do Clássico: FRIGHTMARE, é um dos grandes autores do Cinema de Horror Europeu, dono de um estilo singular, sendo pouquíssimo reverenciado no Brasil. Em 1976, ele presenteou os fãs do mais genuíno Giallo Italiano, com sua versão britânica desse subgênero, com um filme que guarda semelhanças com o clássico PROFONDO ROSSO de Dario Argento. SCHIZO é um alucinante thriller onde o espectador é hipnotizado com uma trama de forte atmosfera, filmada com sutilezas virtuosas que deixam claro o raro talento de Walker como Diretor. Uma jovem recém casada passa a ser aterrorizada pela presença de um homem sinistro que no passado foi condenado pelo brutal homicídio de sua mãe. A atmosfera sombria passa a se transformar em uma tensa    e envolvente teia de misteriosos assassinatos, filmados com maestria e que nos conduzirão a revelações ainda mais aterradoras em seus momentos finais.



Lançado na mesma época que Profondo Rosso, ambos filmes tem boas doses de estilizada violência e um roteiro surpreendente. Em Schizo, existe uma sequência sensacional onde uma jovem médium recebe o espírito de uma vítima do assassino e fala diante de todos em uma sessão espírita que o assassino estava naquele local. Walker sabe manipular o espectador, mas nunca o trata com menosprezo, o roteiro nos desafia, como um quebra-cabeça que vamos montando até a perturbadora e sangrenta revelação final. Me lembro que esse filme foi lançado no Brasil no final dos anos 70, na mesma época que Suspiria. SCHIZO é uma pérola do Horror Britânico que merece ser descoberta e revista. Um filme com roteiro, com atmosfera, com uma força raras nos dias atuais. Absolutamente obrigatório !!!


0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...