25/11/2012

HOLY MOTORS: Simplesmente o Melhor Filme de 2012 !!!




Depois de uma lobga ausência estou de volta para fazer minhas observações sobre: HOLY MOTORS,  o filme do genial Cineasta francês: LEOS CARAX, qie passou pelo Festival de Cannes e vem sendo apontado por um grande número de críticos, inclusive eu, como o Melhor Filme de 2012. Carax é um refinado esteta e sua obsessão, seu profundo fascínio pela pintura, aparece claramente em filmes anteriores como: OS AMANTES DE PONT-NEUF, sem esquecer das belas composições de TOKYO. A singularidade de seu olhar e de sua sensibilidade cinematográficas, ganham uma força quase “sobrenatural” em HOLY MOTORS. O ator: DENIS LAVANT, em uma performance arrebatadora, interpreta 11 personagens, tendo como ponto de partida o Sr Oscar, que, dentro de uma limosine, se transforma em criaturas de grande força simbólica e psicanalítica. A transfiguração desses seres e seus atos que vão da brutalidade ao lirismo, são o fio condutor dessa trama sobre um homem querendo desesperadamente viver muitas vidas, em uma Paris de estranha beleza, sem os filtros dos cartões postais. O fato do protagonista estar em uma limosine, nos remete ao ótimo filme de David Cronemverg: COSMÓPOLIS. Mas o protagonista de Carax, quer ser múltiplo, quer viver em vários mundos. A sequência     da performance entre ele, vestido como uma espécie de Ninja estilizado e luminoso com uma mulher de vermelho parece lhes transformar em um ser híbrido. No momento em que ele se “transforma” no mendigo que acaba com uma modelo em uma espécie de catacumba, o que vemos é uma jornada surreal impressionante que culmina na composição de uma tela renascentista viva, em um momento de beleza sagrada e profana destacada pela nudez frontal do homem e pela representação de uma inusitada santidade na figura da sensual modelo. 


E assim, o estranho “camaleão” da limosine se move pelas ruas de Paris auxiliado por seus fiéis motoristas...
Para compreender um pouco melhor o filme de Carax, voltemos a sua abertura e ao seu poderoso simbolismo. Nosso protagonista surge dos bastidores de uma tela de Cinema, onde a plateia está adormecida, letárgica. O Cinema atual, de puro entretenimento raso e barato, acaba por criar essas massas de espectadores sem ação ou reação diante de uma obra cinematográfica, como se não houvesse mais espaço nos tempos atuais para o Cinema exercer o papel nobre de expressão artística transformadora. O “êxodo” dos cinemas para os shoppings centers já mostra essa massificação do audiovisual como produto plástico e descartável. Hollywood se transformou em um fábrica de reciclagem, com seus filmes barulhentos, conservadores, medíocres e que nada acrescentam ao espectador como possibilidade de reflexão. Carax nada contra a corrente e radicaliza com um filme onde realismo e ilusionismo se confrontam em uma mesma sequência. A figura do acordeonista e sua orquestra nas ruas de Paris é sublime, e muito mais sublime é o desenrolar da sequência com uma bela e perturbadora recriação da figura fantástica do doppleganger. EVA MENDES e a Diva Pop: KYLIE MINOGUE aparecem deslumbrantes em cena com performances absolutamente surpreendentes. São 115 minutos de um Cinema que busca ser relevante como Obra de Arte, que busca despertar o espectador de Cinema de seu sono letárgico e perceber que o Cinema é uma poderosa fonte de transgressã/reflexão sobre o mundo, sobre os abismos da alma humana, sobre a vida... HOLY MOTORS é simplesmente um filme arrebatador, que irá povoar a sua mente por um longo tempo e fazer você ver o Cinema com olhos mais livres e sedentos de arte, emoção e fúria...




1 comentários:

Rodrigo disse...

Holy Motors o melhor?? É o pior filme que já vi! Filme sem história, ou melhor, com uma história doente em que o cara pega um chimpanzé e Limousines conversam no final! Vai tomar no cú, péssima dica...

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...