22/10/2012

INBRED: Uma recriação genial e sangrenta do subgênero: “Caipiras Assassinos" dirigida por Alex Chandon.


O tradicional e influente Horror Cinematográfico Britânico tem se destacado nos últimos tempos. Obras importantes como THE DESCENT aka ABISMO DO MEDO, A CENTOPEIA HUMANA 1 e 2 e KILL LIST surpreendem por sua força brutal das imagens e um niilismo latente. Nos festivais recentes   de Cinema Fantástico, desde SITGES 2011 até o FANTASPOA 2012, um filme se destacou por sua violenta recriação de um dos subgêneros mais populares do Cinema de Horror: os filmes com Caipiras Assassinos. Boa parte desses filmes tem sua ambientação nas paisagens rurais norte-americanas. Agora o cenário da trama  são os belos campos de Yoekshire, onde um casal de educadores e seu grupo composto por jovens problemáticos cruza com os estranhos moradores de uma isolada cidadezinha  não menos estranha. O filme: INBRED, 2011 de ALEX CHANDON.



Na abertura, os créditos iniciais tem como fundo campos de trigo fotografados de maneira luminosa, sendo substituídos por campos de flores vermelhas, numa espécie de alusão ao banho de sangue que será encenado. Já na primeira sequência o Diretor se diverte ao mostrar o brutal diálogo entre um homem cortando lenha com um machado e um casal. Somos transportados em seguida para um mundo estranho, com uma forte atmosfera de suspense que cresce a cada cena. O grupo de forasteiros da Cidade Grande acaba se deparando com os habitantes de uma cidade onde parece não existir mulheres, com a visão de um grupo de crianças ao lado de um espantalho que parece estar vivo. Os olhares dos aldeões aos poucos se transformam em atos de violência, onde uma tentativa de estupro desencadeia a orgia de sangue e vísceras onde vemos a cabeça de um homem ser cortada de maneira extrema, com efeitos gore artesanais, um dos trunfos do filme que não usa efeitos digitais para encenar as mutilações executadas com requintes de crueldade e uma ácida ironia.



No terreno da encenação, o que o espectador testemunha é uma espécie de “Teatro Snuff”, com uma felliniana encenação circense onde a platéia e os executores estão caracterizados com elementos  que vão de um sujeito com uma cabeça de porco até o homem careca e despido que toca órgão e faz a trilha sonora onde os “atores” são realmente mortos em cena, das formas mais absurdas possíveis. Existem referências explícitas aos clássicos: O MASSACRE DA SERRA ELÈTRICA, STRAW DOGS, AMARGO PESADELO e SOUTHERN CONFORT entre outros. Os atores que encarnam os Caipiras são ótimos e fazia um longo tempo que não via um massacre encenado de maneira tão extrema, tão doentia. INBRED é diversão garantida para fãs ardorosos do Gore Extremo ou Hardcore Gore, mas tem um roteiro e atuações bem acima da média e não tem medo de seus deslimites. Ao contrário de filmes medíocres e superestimados como: VIDA E MORTE DE UMA GANGUE PORNÔ, INBRED Mata a cobra e mostra a serra elétrica... banhada de sangue que escorre por todos os lados...


0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...