04/08/2012

NEXT OF KIN: A revisão de um Clássico assustador do Cinema Fantástico Australiano.


A distante e mítica Austrália sempre me fascinou, embora nunca tenha visitado esse paós dr grandes contrastes. O inglês de sotaque estranhíssimo, os desertos, as montanhas, o mar e cudades ultra civilizadas acabam compondo m cenário para excelentes filmes inseridos no Gênero Fantástico, como os excelentes THE LONG WEEKEND, MAD MAX, DEAD END DRIVE IN, THE DAY AFTER THE HALLOWEEN, TURKEY SHOOT,  THIRST, BODY MELT, HOUSEBOAT HORROR entre outros que foram produzidos nas décadas de 70 e 80.                Somente por esse conjunto de filmes é possível construir uma filmografia bastante específica, ainda mais se juntarmos as produções da vizinha Nova Zelândia. Justamente uma co-produção entre esses dois vizinhos insulares me chama até hoje atenção por sua atmosfera singular, suas imagens poderosas, seus silêncios e suas surpreendentes reviravoltas... o filme: NEXT OF KIN, 1982, dirigido com rara sensibilidade para o gênero Fantástico por: TONY WILLIAMS.


A trama, sublinhada por uma vigorosa e atmosférica trilha sonora eletrônica, se inicia com a chegada de Linda, uma jovem de 24 anos que retorna a sua pacata cidadezinha natal após a morte da mãe e se instala na antiga mansão da família, com uma arquitetura que beira o gótico, com corredores, escadarias e janelas de onde surgem alucinações assustadoras, lembranças de seu passado e a icônica figura da menina com a bola vermelha, presente em clássicos do Cinema Fantástico como: OPERAZIONE PAURA aka KILL BABY KULL, de Mario Bava. A velha residência se tornou um lar de descanso para aposentados e o que vemos desde a chegada de Linda é a construção de uma atmosfera, de medo, suspense e expectativa. A sequência do velho entrando na banheira em meio ao vapor que tudo esconde e de repente revela o corpo submerso de outro idoso e absolutamente primososa em sua composição, seus enquadramentos e no uso dramático da câmera lenta, lembrando um pouco a sequência da descoberta da menina afogada em DON’T LOOK NOW. O signo da água permeia todo o filme e é de causar caladrios e deslumbramento a surreal alucinação de Linda ao ver o velho batendo em sua janela como se estivesse debaixo d’água. Elementos de O ILUMINADO aparecem claramente no filme, uma sequência surpreendente com um alfinete e um olho que observa na fechadura só não é menos surpreendente do que o final desse grande filme, pouco reverenciado pelas novas gerações cinéfilas.

2 comentários:

spektro72 disse...

este filme foi lancado em VHS no começo dos anos 80 pela extinta MACVIDEO hoje rarissimo de ser achado,parabens pelo o artigo.

Tony Sarkis disse...

Esse filme possui um clima muito fantasmagórico até chegar aos seus 50 minutos de filme.
Desse ponto em diante o clima muda totalmente ficando ainda melhor.
Um ótimo filme made in australia.

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...