18/03/2012

UNCLE SAM: Um Filme B surpreendente do Mestre: William Lustig.


Existem cineastas com uma relação tão estreita com os filmes que admiram, que acabam se tornando o tipo de Diretor com quem mais me identifico: Os Diretores Cinéfilos. Exemplos são muitos, de Martin Scorsese, passando por Almodóvar e Tarantino. Mas, um deles tem um charme todo especial: WILLIAM LUSTIG. Além de ser o autor de um de meus filmes de cabeceira mais querido: MANIAC, ele ainda criou uma distribuidora de DVDs e agora de BLU RAYs   com um catálogo primoroso, e edições muito bem finalizadas, com extras incríveis, com muito material produzido pelo próprio Lustig, entre eles pequenos documentários que são registros raros do trabalho de Mestres como: Lucio Fulci, Jesus Franco, Dario Argento e muitos outros.. Claro que estou falando da: BLUE UNDERGROUND. Trabalhando com a subversão do Policial que extermina inocentes em MANIAC COP 1, 2 e 3, Lustig recria esse tema com a figura de um soldado do Exército dos EUA que se transforma em um zumbi vingador, exterminando os que ele considera: “Maus Americanos” no dia 4 de Julho. UNCLE SAM, 1996. Mesmo com poucos recursos, o Diretor conseguiu criar um slasher acima da média, com um discurso bastante ousado com relação ao eterno estado de conflitos bélicos em que os EUA estão sempre envolvidos, no caso desse filme em particular o que se destaca é a primeira Guerra do Golfo, declarada pelo “Bush Pai”


A trama destaca as reações de intensa admiração de um menino por seu tio que retorna da guerra em um caixão coberto pela bandeira norte-americana. O tal tio do garoto se chama: SAM, numa alusão direta a icônica figura criada para incentivar os jovens a se alistarem no Exército. O encontro com um Uncle Sam andando em uma perna de pau, para espiar uma garota nua no banheiro, fornece ao soldado zumbi falante a fantasia perfeita para cometer seu massacre de 4 de Julho. Decaptação, enforcamento e até um absurdo empalamento com uma bandeira são algumas das mortes protagonizadas por essa estranha e vingadora figura. A cena final remete ao clássico de Lucio Fulci: CITY OF THE LIVING DEAD e na entrada dos créditos lemos que Lustig dedica o filme a um Lucio: “For Lucio”. Um filme de grandes qualidades, com bom elenco e feito na raça, com criatividade e deixando os grandes efeitos para o final. Vale muito a pena conferir esse que, por enquanto é a última Direção de Lustig, que parece estar na produção do remake de Maniac, ao lado de Alexandre Aja. Vale muito a pena ver ou rever UNCLE SAM, um filme realmente surpreendente.

2 comentários:

Bússola do Terror disse...

Em 1998, eu tive um colega de escola que tinha uma coleção de VHSs de terror. E um dia ele me emprestou esse filme aí.
Confesso que não sou muito chegado em filmes de zumbi, mas esse eu achei muito curioso.
Realmente o vilão mata as vítimas de forma bem bizarra, né?rs E as críticas sociais que o filme faz com a figura do ´Tio Sam` também são bem interessantes.

Marcelo Carrard disse...

Esse filme estava meio q esquecido mas depois que o próprio Lustig o relançou na sua Blue Underground, el foi redescoberto, A homenagem ao Lucio Fulci é um grande destaque, se não me engano 96 foi o ano de falecimento do Fulci...

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...