17/02/2012

MARK OF THE DEVIL: O Brutal filme de Michael Armstrong sobre as torturas da Santa Inquisição.


Em 1970 uma produção germânica filmada na Áustria e dirigida por Michael Armstrong causou polêmica e encrencas com a Censura mundo afora. MARK OF THE DEVIL é quase um Cult Movie instantâneo. Tem no elenco UDO KIER, no papel do romântico Christian, discípulo de um Nobre inquisidor interpretado pelo maravilhoso HERBERT LOM. As polêmicas sequências de tortura foram encenadas com instrumentos reais ou réplicas perfeitas. As vítimas, em sua maioria mulheres acusadas de bruxaria, tem suas línguas extraídas, corpos marcados com ferro em brasa entre outras brutalidades cometidas em nome da Santa Igreja Católica principalmente como um instrumento patriarcal de dominação e imposição de um sistema alicerçado na obediência e no medo. Grande reconstituição de época, bela fotografia e um uso bastante moderno da câmera para um filme de época.


Udo Kier é um ator fetiche do Cinema de Gênero Europeu, participou de dezenas de filmes, entre eles: DRÁCULA e FRANKENSTEIN de Andy Warhol e SUSPIRIA, de Dario Argento, isso só para citar TRÊS exemplos dos anos 70. Durante seu lançamento nos EUA, MARK OF THE DEVIL tinha uma propaganda um tanto quanto bizarra, pois eram oferecidos sacos de vômito para os espectadores nos cinemas onde era exibido. A sequência onde a personagem de Lom estupra uma bela mulher acusada de bruxaria é brilhante, muito bem realizada e com um uso muito criativo da câmera. O roteiro subverte todas as expectativas de uma trama onde  os bandidos são punidos, os mocinhos vencem e ficam com a bela protagonista. Em MARK OF THE DEVIL nada termina como deveria, personagens perversos interpretados por ótimos atores, cometem suas atrocidades sangrentas com suas máquinas de tortura e suas execuções em Praça Pública onde os “Hereges” eram queimados em fogueiras ou decaptados. A sequência final era para ter uma alegoria com mortos vivos mas no final o Diretor mudou as coisas e construiu seu clímax trágico e quase melodramático. A edição em DVD da Blue Underground é excelente. Cópia sem cortes, restaurada, com trailer, e entrevistas excelentes com vários atores, incluindo Udo Kier.As extremas cenas de tortura podem chocar os mais sensíveis, mas o filme ainda surpreende, mesmo  após mais de 40 anos de seu lançamento.

2 comentários:

Bússola do Terror disse...

Bom, além da questão da Inquisição basta dar uma olhada no resto da história da Igreja Católica Romana, principalmente na Idade Média, pra ver que ela é a responsável principal por séculos e séculos de atraso no desenvolvimento de 90% do Ocidente. E não apenas desenvolvimento religioso, mas também político, científico e social, como um todo.
Mas temos que lembrar de um detalhe: os evangélicos pentecostais de hoje, se pudessem, fariam até pior do que os católicos medievais fizeram. Basta prestar atenção nos discursos pentecostais pra constatar isso.

Marcelo Carrard disse...

Concordo plenamente. A Inquisição matou mais do que o Regime Nazista.

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...