04/02/2012

AL TROPICO DEL CANCRO: Um exuberante e selvagem filme de Giampaolo Lomi e Edoardo Mulargia.


Luminoso, erótico, belo, exuberante e selvagem. Esses são alguns dos adjetivos que podem ser usados para definir essa Pérola Rara Exploitation de 1972, dirigida por GIAMPAOLO LOMI, que foi assistente de direção no clássico  filme Mondo: ADDIO ZIO TOM, da dupla Jiacoppeti/Prosperi e EDOARDO MULARGIA, cultuado Diretor de filmes de gênero na Itália, pouquíssimo conhecido do grande público. Em uma mistura de gêneros e subgêneros AL TROPICO DEL CANCRO aka THE TROPIC OF CANCER mais uma vez coloca em cena um grupo de estrangeiros do Primeiro Mundo interagindo com os nativos de um país exótico, no caso, o Haiti do início dos anos 70, um destino turístico com toda a exuberância de suas locações e o misticismo ancestral do Vodu. Ao contrário de PAPAYA DEI CARAIBI de Joe D’Amato, nesse filme os rituais Vodu são registrados de maneira mais fiel, sem carnavalizações equivocadas, com cenas muito impactantes de transes e sacrifícios de animais.


ANITA STRINDBERG, uma das maiores musas do Filme Giallo, interpreta Grace, a loira de sensualidade contida que em uma sequência fantástica de alucinação, nos remete aos momentos onírico/lisérgicos de LA LUCERTOLA CON LA PELLE DI DONNA de Lucio Fulci. Strindberg exala sensualidade ao se abraçar e beijar o misterioso nativo haitiano em um belo contraste entre a pele branca e a pele negra. Além de tudo isso o filme tem elementos de thriller com a presença de um misterioso assassino e um potente alucinógino afrodisíaco manipulado pelos nativos da ilha e que desperta o interesse de homens gananciosos e muito perigosos. Das sequências de assassinatos se destaca a sequência de uma espécie de fábrica onde o assassino se utiliza de diversos maquinários em ym dos grandes momentos do filme, sem dúvida. Grande trilha sonora de: PIERO UMILIANI, com um groove muito especial e utilização criativa de ritmos africanos. Melhor acabado que os filmes da Fase Caribenha de Joe D’Amato, mas sem o furor erótico e violento de nosso notório Mestre Italiano do Exploitation. Vale muito a pena conferir essa maravilha que eu recomendo de coração: AL TROPICO DEL CANCRO, um filme imperdível !!!

4 comentários:

Bússola do Terror disse...

rs
Quando você falou agora do furor erótico do Joe D´Amato, me lembrei de Porno Holocaust.
Ainda não vi esse, mas encontrei algumas fotos de cenas dele aí pela Internet... Bom, a princípio eu achava que era um filme de terror, né? Mas com as imagens que eu vi, já entendi logo que é pornô mesmo. Porno Holocaust não fica devendo nada às produções da Brasileirinhas.rsrs
Mas também achei interessante esse filme que você destacou aqui, é claro.

Marcelo Carrard disse...

O Porno Holocaust tem algumas cenas Gore no meio da pornografia e até que não é de todo ruim. da Fase Caribenha do D'Amato eu gosto do Papaya e do Noites Eróticas dos Mortos Vivos. O Trópico de Câncer já é mais bem comportado em termos de erotismo mas muito interessante mesmo.

Anônimo disse...

Sabe me dizer o nome do filme que o diretor Carlos exibiu um trecho na primeira sessão do comodoro. Um filme australiano sobre umas grupies com apelo bem pornô?

Marcelo Carrard disse...

O filme se chama: THE BAND, da Diretora: Anna Brownfield, lançado em 2009.

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...