24/01/2012

COSI DOLCE... COSI PERVERSE: Um thriller eletrizante de Umberto Lenzi com Produção de Luciano Martino.


Em pleno “Inverno Nuclear”, onde estamos vivendo os efeitos da truculência e da estupidez capitalista que lacrou o Mega Upload e seus similares, aqui estou para celebrar mais uma vez um filme de uma época nostálgica, onde a luta pela liberdade de expressão era a ordem mundial. O Mestre Umberto Lenzi é mais conhecido como o autor da dobradinha canibal: CANNIBAL FEROX/EATEN ALIVE, mas teve uma interessante passagem pelo  Giallo em filmes como: EYEBALL, SPASMO e SEVEN BLOOD STAINED ORCHIDS. Antes do Giallo, Lenzi dirigiu alguns thrillers muito interessantes, com excelente atmosfera e roteiros acima da média como: ORGASMO. PARANOIA e o eletrizante: COSI DOLCE... COSI PERVERSE, estrelado por um trio cultuado de atores  que participaram de importantes produções européias: JEAN-LOUIS TRINTIGNANT, no papel de um infiel homem de negócios, ERIKA BLANC, como Camille, sua frígida esposa e CARROLL BAKER como a misteriosa amante de Jean. O primeiro encontro dos futuros amantes no elevador e narrado com imagens estilizadas que acabam compondo um verdadeiro mosaico de obsessão e desejo quase mórbido quando surge paralelamente o violento e também misterioso ex-amante de Nicole, personagem de Baker. Com trocas   de olhares apaixonados e obcecados, logo os amantes estão juntos passando um final de semana de frente ao mar, mas o que parecia um idílio perfeito é o começo de uma sucessão de reviravoltas que transformam a trama em um eletrizante thriller onde nada é o que parece ser e tudo somente se resolve na última cena do filme.







COSI DOLCE... CPSI PERVERSE é daqueles filmes que nos fazem frudar diante da tela e que qualquer descuido nos faz perder algum detalhe importante da trama. Excelente Direção de Arte com requintra dos interiores e a trilha sonora clássica de RIZ ORTOLANI é um destaque muito especial, um dos melhores trabalhos desse grande Mestre da Música Cinematográfica. Mesmo para uma produção de 1969, as cenas de nudez são bem ousadas e a questão da estranha frigidez da esposa é meio que um mistério velado dentro da trama. A sequência   do apartamento de Nicole e a cortina de veludo vermelho é muito interessante assim como a sequência inusitada do necrotério..A sequência da noite de tempestade no apartamento é brilhante, carregada de uma elegância que o Cinema perdeu com o tempo. Umberto Lezi é realmente um Mestre.

2 comentários:

Anônimo disse...

Olá, parabéns pelo ótimo blog, sempre o leio.

Marcelo, você não considera Tão Doce... Quanto Perversa (foi lançado aqui assim) um Giallo?
Ele é para mim o "menos bom" da trilogia de Gialli do Umberto Lenzi com Carroll Baker, o melhor é Um Tranqüilo Lugar Para Matar (Paranoia aka A Quiet Place to Kill), que é um mix desse Cosi Dolce com o Orgasmo aka Paranoia (1969), que também é excelente (na versão integral, pois há uma cena vital cortada da versão americana).

Acredito que essa trilogia pertença a primeira fase do giallo, antes do boom do Pássaro das Plumas de Cristal (1970) onde o assassino de luvas pretas tornou-se quase obrigatório (com exceções ilustres como Il Profumo della Signora in Nero (1974), Le Orme (1975), Pensione Paura (1977));
Essa primeira leva girava mais entorno de assassinato/reviravoltas/chantagens/cobiça/infidelidade do que em assassinatos em série.

Gosto dos gialli de Lenzi, pois eles tem identidade e por ele não tentar copiar Argento, manter seu próprio estilo com: Un Posto Ideale Per Uccidere (1971), Knife of Ice (1972), Spasmo (1974) e é discutível se em Sete Orquídeas Manchadas de Sangue (1972) ele realmente copiou Argento, pois na revelação do assassino a roupa era na verdade uma pista, acho que estava mais influenciado por Bava (Blood and Black Lace). Já em Eyeball (1975), que considero um filme sem a classe e sofisticação dos anteriores, Argento já é mais nítido.

Fulci é para mim o mais original (A Lizard in a Woman's Skins, Don't Torture a Duckling e The Psychic).

Gosto do Sergio Martino (em O Estranho Vício da Sra. Wardh e All the Colors of the Dark ele chega ao sublime e A Cauda do Escorpião e Your Vice Is a Locked Room and Only I Have the Key são filmes eficientes, mas num aprofundamento soam como mais do mesmo, já Torso é o pior dele, apesar de algumas ótimas cenas, é um filme vulgar, falso, pouco inspirado, mal feito mesmo; falta assistir o Morte Suspeita de Uma Adolescente).

Bem, já escrevi demais e novamente lhe parabenizo pelo ótimo trabalho.

Alma

Anônimo disse...

Olá Marcelo,
Excelente site o seu! Gostaria de o ter conhecido antes: como perdi tempo. Como acabei de entrar ainda não entendi como posso assistir aos filmes. Existe algum link de torrent por meio do qual eu os possa baixar?

Grande Abraço!

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...