29/11/2011

SINNER-DIARY OF A NYMPHOMANIAC: Um libidinoso “Improviso Jazzístico” de Jesus Franco.


Estava curioso para ver mais esse “Improviso Jazzístico” do nosso querido Jesus Franco, lançado recentemente pela Mondo Macabro. Com uma filmografia de mais de 150 filmes, Franco tem diamantes de rara beleza como SUCCUBUS e VAMPYROS LESBOS, sem esquecer de EUGENIE e VENUS IN FURS. Nesse processo de “garimpagem”, grandes filmes como LOVE LETTERS OF A PORTUGUESE NUN e THE BLOODY JUDGE emergiram das trevas e ganharam seu merecido reconhecimento. SINNER_DIARY OF A NYMPHOMANIAC recebeu uma edição  da Mondo Macabro, que já nos brindou com uma cópia restaurada de LORNA, já comentada por aqui. O filme começa com a performance erótica de duas mulheres inteiramente iluminadas  de vermelho. Uma platéia assiste a tudo, o que nos remete a VAMPYROS LESBOS. Após a estranha morte da protagonista, Linda, vemos uma fragmentada reconstituição de sua jornada erótica registrada em um diário.


Sequências muito interessantes como a do Parque de Diversões, as sessões de fotos com forte acento fetichista e a dança descontraída de Linda e Maria, as duas amantes em seu clube noturno chamado: THE LUCKY GHOST. O registro dos corpos em sua vertigem do desejo é um ponto alto dos filmes de Franco    que ao lado de Tinto Brass e Joe D’Amato, é um dos grandes fotógrafos de mulheres, com uma força imagética muito singular, com sua câmera que muitas vezes parece “lamber” as atrizes. O mar, a música de grande força diegética, o desejo latente, olhares famintos, atmosfera onírica/lisérgica, destinos trágicos... muitos são os elementos do Cinema de Jesus Franco trabalhados nesse filme radicalmente setentista, onde a sexualidade é insinuada, onde ainda persiste o mistério. Belo, luminoso e, por incrível que possa parecer, surpreendente...

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...