09/10/2011

THE DEVIL’S RAIN: Um Conto Satânico delicioso e hipnótico.



O Demônio pode assumir muitas formas, estar em muitos lugares, sempre esperando para agir. No Cinema também já assumiu muitas formas como em: O EXORCISTA, em EVIL DEAD, em DEMONS, no Cult obscuro: O DEMÔNIO DOS SEIS SÉCULOS entre muitos outros. A batalha entre o Bem e o Mal é sempre travada, de maneira maniqueísta ou, com sorte, de maneira ambígua como no caso do excelente filme de 1974: THE DEVIL’S RAIN, dirigido por ROBERT FUEST. Já na abertura vemos uma série de reproduções de quadros da Idade Média e da Renascença que lembram os trabalhos de Brueguel e Bosch. As representações pictóricas possuem uma luminosidade toda especial e serão recriadas em outro momento do filme. A ação se inicia em uma noite chuvosa. Sem grandes introduções ou explicações a trama já se inicia como se estivéssemos dentro de um pesadelo. A atmosfera de ocultismo e crescente tensão se acentua com a chegada do homem que tem o corpo derretido  pela chuva, a tal DEVIL’S RAIN do título. Feitiço e morte persegue esse grupo até que o único homem com forças de prosseguir, WILLIAM SHATNER, resolve enfrentar os demônios que querem um livro secreto que está com ele, começa assim o filme...


É impressionante a força hipnótica desse belo filme, de imagens fortes. Os mantos e capuzes, vermelhos e pretos dos satanistas, os rituais, as tochas, as palavras de invocação do Diabo, tudo cria uma estranha atmosfera que mistura fascínio e medo, desejo e repulsa. Na sequência do flash back, testemunhamos uma tensa passagem durante a Inquisição, onde a luminosidade, a textura das cores, tudo se refere às pinturas do início do filme, nos créditos iniciais. ERNEST BORGNINE está incrível no papel do Sacerdote, demoníaco, sedutor, em uma interpretação antológica. No elenco aparecem desde o ainda desconhecido JOHN TRAVOLTA, a veterana IDA LUPINO e o Fundador da Igreja de Satã nos EUA: ANTON LAVEY> O primeiro conflito na Igreja entre a personagem de Shatner e os satanistas é excelente, muito bem realizada. Belas cenas de rituais, muito bonito o elemento profundamente fantástico da enorme bola de vidro que contém as almas e é decorada com um belo ornamento dourado. O final é absolutamente inesperado e surpreendente, fiquei muito satisfeito com o resultado final desse grande filme que já deveria ter visto faz tempo mas acabei acumulando outros títulos... os colecionadores sabem como é...



2 comentários:

Anônimo disse...

Salve, Marcelo! Ótima resenha desse que é um dos meus filmes favoritos! Bastante obscuro e pesado. Uma pequena correção: - - - - - - SPOILER - - - - - a DEVIL'S RAIN do título, na verdade, refere-se à bola de vidro onde estão aprisionadas as almas sob aquela chuva incessante e agonizante - - - - - - - FIM DO SPOILER

Marcelo Carrard disse...

Sim, mas eu interpretei também a questão da chuva como Devil's Rain. Muito Obrigado pelo comentário.

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...