30/08/2011

VIDEO NASTIES: MORAL PANIC, CENSORSHIP AND VIDEOTAPE: Um Documentário surpreendente sobre a Censura e perseguição do Cinema de Gênero no Reino Unidos dos anos 80 com oito horas de duração.


Vivemos no Brasil um clima ultra conservador em vários sentidos com uma união da Direita mais reacionária com os Evangélicos de sempre, onde o poder econômico atinge até a Presidência da República que de joelhos aceita até a volta da Censura em troca de apoio político rasteiro. Nesse clima niilista é sempre bom recordar os absurdos históricos da Censura, cujo exemplo mais absurdo foi a criação da lista dos VIDEO NASTIES no Reino Unido dos anos 80 onde 72 filmes foram retirados das locadoras de vídeo e muitos definitivamente banidos. Uma crise de histeria se espalhou quando a mídia mais conservadora e o Parlamento Britânico passaram a culpar determinados filmes como agentes detonadores de todo tipo de crime e violência, como se automaticamente um garoto que visse um vídeo de CANNIBAL FEROX por exemplo, se levantasse do sofá e saísse às ruas exterminando quem visse pela frente. Mais ou menos foi isso que ocorreu no Reino Unido dos tempos áureos das locadoras de Vídeos. No Documentário: VIDEO NASTIES:MORAL PANIC, CENSORSHIP AND VIDEO TAPE, 2010, acompanhamos com detalhes como foram esses anos, quais filmes foram perseguidos, tudo em uma Edição Tripla, onde o primeiro DVD é composto pelo Documentário básico onde Críticos e pesquisadores como Alan Jones e Cineastas como: Neil Marshall, de O Abismo do Medo, falam sobre os filmes, ao lado dos próprios censores. Trechos de programas de debate na TV, fitas de vídeo sendo queimadas, depoimentos de políticos coxinha falando mal dos filmes, um deles chocado com a cena fake do macaco que tem o cérebro devorado em FACES DA MORTE, manchetes de jornais e aquele clima de perseguição aos filmes e sua influência sobre os adolescentes que eram o público principal das locadoras e que consumia filmes de Horror/Exploitation. Os dois primeiros filmes a receberem a tarja de VIDEO NASTIE, foram DRILLER KILLER de Abel Ferrara e DEATH TRAP, título britânico de EATEN ALIVE de TOB HOPPER, aquele do crocodilo, não confundir com o filme de canibais de Umberto Lenzi. Depoimentos e imagens de arquivo excelentes e históricos.


O segundo e o terceiro DVDs são bem interessantes, pois filme por filme, são analisados por experts, as caixas e capas dos vídeos originais são mostradas, ima imagem mostra a ficha completa e o cartaz do filme com seus dados e ficha do departamento de Censura, com o ano que o filme foi censurado ou banido e se o certificado mudou aparece o ano em que foi reeditado. Lucio Fulci tem três filmes na lista: THE BEYOND, HOUSE BY THE CEMETERY e ZOMBIE. Os filmes de canibais estão todos na lista, creio que somente o EATEN ALIVE, que no Brasil saiu como: OS VIVOS SERÃO DEVORADOS, e eu aluguei o VHS na TV3 em Porto Alegre, e o LAST CANNIBAL WORLD, os outros todos estão na Lista: CANNIBAL TERROR, CANNIBAL FEROX, CANIBAL HOLOCAUST, DEEP RIVER SAVAGES, THE DEVIL HUNTER, CANNIBAL MAN, creio que NUDO ESELVAGGIO e AMAZONIA aquele da loira seqüestrada pelos índios se livraram da lista também. A lista tem desde Slashers como DON’T GO IN THE WOODS ALONE, THE BOOGEY MAN e THE BURNING até filmes Naziexploitaitions como LOVE CAMP 7, THE BEAST IN HEAT e muitos outros. Alguns filmes como EVIL DEAD, FACES DA MORTYE e CANNIBAL HOLOCAUST merecem uma maior atenção. Um detalhe, depois que cada um dos depoimentos sobre os filmes se encerra, em seguida vemos seu trailer original.  Foi um mergulho histórico fascinante. Recordar dos tempos do VHS, daquele clima das locadoras onde descobri Lucio Fulci, Dario Argento e tantos outros Heróis que admiro até hoje... No primeiro DVD tem uma seqüência no início que mostra segundos de cenas de cada um dos 72 filmes, muito legal. Os comentários e análises são ótimos e reveladores. Esse Documentário é um deleite para os fãs me emocionei muitas vezes. Os absurdos da Censura, dessa imposição do Estado que ousa decidir o que podemos ou não ver, ler e ouvir, a luta contra a Censura é um exercício diário. Nunca assisti um Documentário tão longo, demorei mais de dois dias para ver tudo e digerir essa montanha de informações. E ainda tem os extras, com trailers exploitation raros, cenas deletadas e um lance muito legal, as vinhetas das distribuidoras de vídeo britânicas da época. Me lembrei das vinhetas da Look Vídeo, da América Vídeo... foi uma experiência inesquecível a de ver esse gigantesco Documentário, adorei ver os trailers de BLOOD BATH IN THE HOUSE OF DEATH e de  tantos outros filmes que não conhecia os trailers. Teria muito mais o que falar mas temo esgotar o espaço da publicação...
LONGA VIDA AO CINEMA EXPLOITATION E A LIBERDADE !!!

7 comentários:

erika_silva disse...

marcelo, onde vc consegiu este documentario ? rola uma copia?

Marcelo Carrard disse...

Ten torrents dele, são três DVDS ao todo e o ideal é usar uma mídia de camada dupla, 8.7 Gigas. Tente essas fontes, colocando dois DVDs em umna das mídias e o terceiro e os extras no segundo, fica melhor.

http://bitsnoop.com/video-nasties-the-definitive-guide-q19574371.html

Tony Sarkis disse...

Marcelo, eu tb possuo essa coleção de três DVD's mas ainda não assisti.
Preciso ver urgentemente.

Erika, vc tb pode achar em formato direto no megaupload.

Marcelo Carrard disse...

É legal assistir com tempo e atenção. É uma preciosidade esse Doc.

Fernando disse...

Esse documentário deve ser mesmo muito bom!

Amilcar Rodrigues disse...

Obrigado. Baixei no "My Duck is Dead" (http://bit.ly/mRpZjf) com o JDownloader (http://bit.ly/o7nlx6).

Marcelo Carrard disse...

O arquivo do My Duck is Dead é só o Documentário em si que estreou ano passado no Friht FEst de Londres. As análises filme por filme estão nos outros dois DVDs do Box. MAS o Documentário em si é espetacular e tem muito material. Já tem no You Tube alguns trechos dos outros dois DVDs como a análise seguida do Trailer de FACES DA MORTE.

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...