29/06/2011

LADY TERMINATOR: Um bizarro exemplar do lendário Cinema de Gênero da Indonésia.


Nas décadas de 70 e 80 a Indonésia produziu um expressivo numero de filmes de baixo orçamento que se popularizaram mundo afora graças a antiga mídia do VHS e a febre das videolocadoras. Esses filmes, em sua maioria, eram de ação, guerreiros místicos e de Horror com forte acento sobrenatural alicerçado nas lendas locais. Um dos elementos mais fortes da cultura popular da Indonésia eram suas HQs, que foram adaptadas fielmente gerando filmes como: THE WARRIOR e THE DEVIL’S SWORD. Com uma estética e uma personalidade singulares, esses filmes se transformaram quase em um subgênero denominado como: Indonesian Nasties. Para quem nunca viu uma dessas produções, um bom ponto de partida é o inacreditável filme de 1989, dirigido por: TJUT DJALIL; LASY TERMINATOR.


O filme conta a história da mística figura da Rainha do Mar do Sul. Ela mata os amantes durante o ato sexual e somente um homem consegue sobreviver e tenta destruí-la com um punhal sagrado. A Rainha do Mar do Sul desaparece e se refugia no fundo do mar jurando vingança. Belas imagens de um templo que parece estar dentro do mar, o movimento das ondas, auxiliam na criação da atmosfera onírica do filme nessa parte inicial. Depois vemos uma antropóloga americana pesquisando justamente o Mito da tal Rainha e quando ela parte em um passeio de barco desaparece ao mergulhar, despertando de maneira absurda como a reencarnação da figura mítica devoradora de homens. O conteúdo sexual do filme é bem ousado, embora tenham sido filmadas cenas mais comportadas como opção para os distribuidores que temessem problemas com a censura. Depois de matar dois homens como uma abelha  castrando o zangão, a tal Rainha passa a perseguir uma cantora Pop e se transforma numa versão feminina e de baixíssimo orçamento do Exterminador do Futuro, com direito a visão alterada, circulada de vermelho e armada de pistolas e metralhadoras, promovendo um inacreditável massacre, com direito a explosões e perseguições de carros.


A cada cena fica mais claro que o roteiro do filme copia a estrutura do filme estrelado por Arnold Shwarzennegger, com limitações que o tornam muito engraçado e surpreendente ao mesmo tempo. Impagável a cena em que a vilã tira um dos olhos, lava-o, com direito a efeitos de eletricidade e o coloca de volta no globo ocular, além do que são dos olhos que ela lança raios vermelhos também... Os movimentos da tal Rainha tentando imitar uma criatura robótica são muito engraçados. Um filme perfeito para se assistir com os amigos e se divertir muito.

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...