16/04/2011

VEERANA: Um delirante e bizarro exemplar do Cinema de Horror Indiano



Para a grande alegria dos fãs de um Cinema livre e criativo, dois irmãos indianos que ficaram conhecidos no início da década de 80 como os Ramsay Brothers:  Shyam e Tulsi, produziram pérolas do Horror Cinematográfico bem ao estilo Bollywood, com números musicais e dancinhas. Em 1988 eles criaram um delirante e bizarro filme sobre bruxaria, rituais satânicos e possessão. Visualmente o filme é de uma beleza estranha, rebuscada, já na incrível sequência de abertura com os créditos, bastante longa diga-se de passagem. A maneira como as cores são utilizadas, as composições cromáticas da Direção de Fotografia e da Direção de Arte, é muito singular, um presente para os sentidos, que consegue construir toda a atmosfera sobrenatural e onírica necessárias para o filme. A interpretação é over, sempre, o que garante a diversão. A trama conta a história da uma poderosa bruxa e seus discípulos que na primeira parte do filmesão atacados por uma figura heróica que em uma banheira tem um encontro com a feiticeira ainda sob a forma de uma bela mulher que se transfigura no monstro que é sua verdadeira face. Os aldeões com as tochas tentando invadir a casa lembra os filmes clássicos de horror e a figura da bruxa no caixão, com o rosto deformado remete ao clássico A Máscara de Satã de Mario Bava. Claro que uma vingança virá e a jovem Jasmim é hipnotizada pelo perverso discípulo da bruxa e acaba sendo possuída por seu espírito maligno... Uma trama até já conhecida, mas aqui o que a diferencia é a forma, a narrativa sem pressa, a estética singular desse filme feito praticamente todo em estúdio. Relâmpagos, gritos, rostos expressivos e olhos arregalados povoam o filme.

Mesclado ao horror delirante do filme, surge a comédia com personagens clowns, e os tradicionais números musicais incrivelmente bizarros, principalmente no quesito cabelo e figurino. As sequências de horror são muito interessantes e as sequências de luta muito divertidas. A possessão da Jasmim é um dos grandes momentos do filme. Os ataques da bruxa e seu Discípulo são bem explorados e divertem muito.A longa sequência final da luta entre o bem e o mal é fantástica não só pelo cenário mas pela curiosa fusão dee elementos espirituais indianos com os elementos clássicos do Horror Sobrenatural. A sequência parece não terminar nunca, me senti naquelas antigas sessões de cinema vespertinas quando via as aventuras de Simbad e seus derivados. Toda aquela cor, aquela ingenuidade que nos faz torcer pelo mocinho. A cripta da bruxa, as estátuas e o fogo, sempre o fogo quase que onipresente no filme. VEERANA é um filme difícil de descrever, só assistindo mesmo. O Cinema popular indiano tem grandes surpresas que merecem e muito serem vivenciadas, vale muito a pena...

1 comentários:

Leopoldo Tauffenbach disse...

Depois de ler o post resolvi rever o filme depois de muito tempo. Uma coisa que eu não sabia é que a fonte de inspiração para esse filme fora "Vampyres" de José Ramón Larraz. Na verdade os irmãos Ramsey sempre se apoiavam em algum sucesso (ou não) do Ocidente para produzirem seus filmes, vide Mahakal, versão Bollywood de "A Hora do Pesadelo".

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...