02/04/2011

ASSAULT /JACK THE RIPPER: Uma Deliciosa Iguaria da Célebre Produtora Nikkatsu.



Nessa noite chuvosa de sábado tive alguns filmes como companheiros, ao lado de minha inseparável xícara de café. Um deles foi  ASSAULT/JACK THE RIPPER, uma produção da NIKKATSU, a lendária produtora japonesa que no final dos anos 60 passou a brindar os fãs do Cinema mais extremo com clássicos Violent Pink Movies, com tramas que misturavam em grandes doses, sexo, nudez e violência. ASSAULT/JACK THE RIPPER foi dirigido por YASUHARU HASEBE em 1976 e narra uma história de paixão mórbida onde um casal descobre uma inesperada conexão entre a morte e o desejo, quando encontram uma misteriosa mulher na estrada que ao entrar no carro deles se despe, se unta de creme e começa a se mutilar. O sangue, o desejo e a morte passam a ser uma obsessão para o casal que passa a caçar mulheres e as sacrificar de maneira brutal, através da evisceração de seus corpos com uma enorme lâmina, ao estilo de Jack o Estripador. As referências, porém, são de dois assassinos americanos da vida real: o primeiro dos anos 40, que inspirou o filme : THE HONEYMOON KILLERS e outro que na década de 60, matou várias enfermeiras.

O ritual de morte e paixão prossegue cada vez com mais força. Vítima após vítima o casal se entrega cada vez mais ao desejo explosivo que toma conta de seus corpos após os assassinatos. A trilha sonora meio jazz, meio lounge, se contrapõe a brutalidade das cenas. Inspirado nos filmes Gialli que bombavam na Itália, esses filmes criavam composições inspiradas das cenas com destaque para belos planos gerais, fotografia e cenários bem cuidados. A sequência do massacre das enfermeiras é absurda, um exemplo perfeito da falta de limites e da transgressão que esse e outros filmes da Nikkatsu imprimiam na tela, com grande sucesso de público. A mistura das referências aos assassinos norte-americanos aparece distinta quando o marido passa a matar sozinho, caçando cruelmente suas vítimas e se esquecendo da parceria com a mulher. YASUHARU HASEBE chegou a dirigir episódios da sensacional série WIP: SCORPION 701, que eu adoro. Para quem ainda não conhece essas produções deliciosamente diabólicas da NIKKATSU, ASSAULT/JACK THE RIPPER é um bom começo, mas já aviso, pode ser altamente viciante...

2 comentários:

Ricardo Leitão disse...

Caramba, como gosto destes filmes da Nikkatsu! Assisti este filme há mais ou menos um mês atrás, realmente uma pérola asiática! Um diretor que fez muita coisa boa nessa área sexploitation/pinku eiga foi o Norifumi Suzuki, creio que você deve gostar muito. Abraço!

M.Carrard disse...

Eu adoro o Norifume Suzuki. School of the Holy Beast e Beautiful Girl Hunter são meus favoritos além de Sex and Fury...

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...