10/03/2011

A NOITE DE “THE JOHNSONS” NA SESSÃO COMODORO.


Na última quarta-feira rolou a Sessão do Comodoro, devido a problemas pessoais do Carlão Reichenbach, a sessão não rolou na primeira quarta do mês. Foi muito bom encontrar os amigos de sempre: o Hugo, a Vivi, o Edu, o Felipe Guerra, o Leopoldo, a Cris, a Laura Cánepa, o Caraça e até a presença do Edu Aguilar q andava sumido. Foi bom encontrar esses amigos tão queridos e conhecer um pessoal novo. Foi surpreendente a projeção desse filme muito especial do RUDOLF VAN DEN BERG: THE JOHNSONS, já estou virando fã desse holandês talentoso, criativo e de um forte traço autoral. A trama sobre os sêxtuplos, cujo nascimento é narrado com imagens marcantes, se desdobra   em surreais e oníricos caminhos, de maneira imprevisível. Os olhos azuis cobalto da menina, o conteúdo místico, os mirabolantes momentos de horror mostrados de maneira singular fazem desse filme uma descoberta saborosa.  A parte final do filme é sensacional, concluindo muito bem os temas inicialmente antagônicos q o excelente roteiro apresenta. Vale muito a pena conhecer esse filme e seu grande Diretor.

Depois da sessão rolou aquele tradicional bate papo no bar da esquina, regado a muita cerveja e discussões sobre o filme e sobre outros filmes q trocamos e sobre futuras trocas. Uma dupla de jovens pesquisadores de cinema brasileiro estava lá e conversamos sobre o objeto principal de seu trabalho: A Fase Pornô da Boca do Lixo. Foi muito legal conhecer os meninos e perceber q os jovens pesquisadores atualmente andam se interessando muito por esse resgate da Boca do Lixo e suas muitas possibilidades de pesquisa, passando longe daquela mesmice anódina de Glauber e Cangaço...

Na minha caça aos filmes dos sonhos estou conseguindo filmes do italiano FERNANDO DI LEO, q merece uma descoberta e uma atenção maior, pois seu talento é incrível além da versatilidade de gêneros em q enveredou. A trilogia da nossa querida ILSA também já se encontra aqui na estante em um lugar de honra, assim como o francês DENTS ROUGES, e muitos Gialli q ainda não tinha, entre muitos outros. Em breve falarei de todos eles por aqui, com destaque para as finas iguarias da MONDO MACABRO. Ah, e hoje, num momento trash, vimos Bruna Surfistinha. O filme é razoável, mas muito bem realizado, atrizes acima da média, e uma trilha sonora surpreendente com RADIOHEAD e PRIMAL SCREAM. Vimos via Net, com alguns defeitos na edição de áudio e na pós produção nas cenas onde aparece o monitores do micro da protagonista, mas como sempre, salvando-se raras exceções, Bruna Surfistinha é mais um produto envernizado e falsamente transgressor, para os bofes q esperam nudez explícita da protagonista, mostrada de vários e ginecológicos ângulos, sinto muito, ficarão desapontados...

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...